Go Go G-boys

Go go G-boys é um grande concurso de beleza anual só para homens que está prestes a acontecer em Taiwan. A premiação é de mil dólares em dinheiro, instigando diversos moços a correrem a fim de competir. Entretanto, os concorrentes obrigatoriamente precisam ser homossexuais, eliminando mais da metade no ato da inscrição.

O entregador de pizza A-Hong(TAE) é namorado de uma menina que gasta muito dinheiro; agiotas estão o ameaçando de morte por conta das dívidas. Num momento do acaso, o folheto do concurso Go go G-boys cai em suas mãos, levando-o a implorar ao seu amigos gay A-Shing(Cheng-Kang Tang) – que possui uma paixão secreta por ele – a fingir ser seu namorado para validar sua entrada no concurso de um modo que ninguém desconfie.
Devido a popularidade e enorme concorrência, o concurso GGG-boys está sendo ameaçado por grupos terroristas homofóbicos, trazendo em ação o policial Jay(Yu Fa Yang) que tem como missão disfarçar-se para o concurso com a finalidade de proteger os garotos.

A comédia faz estilo um Miss simpatia Gay, só que o irônico foi o protagonista Jay ter sido o escolhido exatamente por ser bonitinho e feminino. Filme engraçado para quem gosta de comédia oriental. Mal atuadinho, mas faz parte.

Quando baixei esse filme, foi a época que o orkut bombava, até lembro a comunidade que baixei: Ásia gls, atualmente não funciona mais – como todo orkut. Por incrível que pareça, depois de seis anos, ontem é que fui vê-lo e fiquei ainda mais encantada com a beleza dos taiwaneses.

Fiquei louca com as sacações desse diretor! A cena que merece o maior destaque nesse aspecto foi uma do colega de quarto do Jay, insistindo que este não é gay, manda ele dormir dentro do armário. Também morri de rir quando utilizaram o filme norte-americano Brokeback mountain, sendo citado como um filme do estilo “assistiu? então é gay”. E o codinome virtual do policial quando à procura do serial killer  ser “bundinha malvada”, o encontrando quase 30 minutos depois da utilização do usuário.

Claro que o filme deixou aquela marquinha de confusão como toda a película asiática(principalmente de Taiwan): existe um personagem que não tira a maquiagem e o cabelo modelado de laque por nada. Ele usa o look na hora de dormir, na academia, na praia e até na piscina. Tem uma cena na lavanderia que um homem do nada pede para fazer sexo com A Shing – detalhe, a parede do local era de vidro – e ele aceitou com normalidade.

O mais importante foi o modo que a comédia retratou a homossexualidade em Taiwan, falando da homofobia, o contexto do contraste social entre os reacionários conservadores e os liberais, e o modo como todos lidão com isso. Mas principalmente, deixam bem claro que a situação toda é ridícula: é totalmente desnecessário existir tanto a homofobia quanto uma procura descontrolada por aceitação na sociedade. Concretizam isso na cena mais linda do filme para mim,quando uma drag conta ter sonhado com Deus e que Ele mandou-o, acima de tudo, amar-se, pois o modo que ele é, foi o modo que Ele o fez.

Autor: Cortez Hime

Ps: Deus pode ser qualquer Deus, não é necessariamente Javé(Deus do Judaísmo, Cristianismo e Islamismo[também conhecido como Allah]). Por favor, não comente nada se for homofóbico e acima de tudo, não leve para o pessoal expondo sua religião quanto ao assunto.

Anúncios
Esse post foi publicado em M-Movies e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s